Após quase um mês internado, o jovem Railson Silva de Souza, de 19 anos, morreu no pronto-socorro de Rio Branco, na manhã deste domingo (16). Railson foi baleado na cabeça no dia 18 de janeiro, no km 58 da rodovia AC-90, a Estrada Transacreana.

No dia do crime, vários homens armados, em uma caminhonete, chegaram na casa do rapaz, desceram do veículo e efetuaram vários disparos em direção ao jovem, que foi ferido com três tiros na cabeça.

O rapaz foi a sétima vítima da “chacina da Transacreana“, um dos crimes bárbaros que chocou toda sociedade acreana. Quase um mês depois do massacre, a Polícia Civil conseguiu prender apenas um acusado de ter participado do crime.

Relembre o caso

A chacina da estrada Transacreana, que aconteceu no dia 18 de janeiro, foi um dos maiores ataques realizados por uma facção em Rio Branco, até o momento. Ao todo, em apenas 3 horas naquele dia, a facção Bonde dos 13, conseguiu matar sete pessoas.

Segundo informações da polícia, 12 criminosos em uma caminhonete modelo Hilux, de cor branca, foram até o Bar “Dos Anjos”, no km 100 da estrada, onde havia um grupo de amigos bebendo, e de posse de armas de vários calibres, começaram a atirar contra as pessoas que estavam no estabelecimento.

Seis pessoas foram atingidas e acabaram morrendo no local. Após o crime, os bandidos foram até o km 58 da rodovia, onde feriram Railson na área da casa dele.

Veja quem foram as vítimas da chacina: Vítimas da chacina na Transacreana são identificadas; facção matou 7 pessoas em Rio Branco

B13 matou outro jovem na mesma noite

Um jovem de 22 anos também foi morto na mesma noite da chacina. O crime aconteceu no Ramal Bom Jesus, na região da Vila Acre, uma hora antes da chacina no bar, mas foi efetuado por dois criminosos que, após assassinarem Mateus Vieira Cardoso, gritaram que eram membros do Bonde dos 13.

A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) ainda investiga o caso.

Jovem foi morto no Ramal Bom Jesus enquanto ia comprar energético (Foto: Ithamar Souza/Alerta Acre)