Chilena foi morta a facadas em Rio Branco (Foto: Arquivo Pessoal)

A Polícia Civil do Acre prendeu, nesta sexta-feira (14), o acusado de matar a chilena Karina Constanza Bobadilla Chat, de 22 anos. O homem estava se escondendo na zona rural do município de Feijó, no interior do estado. A polícia não revelou a identidade dele.

De acordo com a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o acusado já havia sido preso quando tentava fugir para o interior do estado, no dia 3. Durante o interrogatório, ele confessou o crime, mas por não estar mais em flagrante, foi liberado.

O mandado de prisão foi expedido dias depois, e os investigadores iniciaram uma nova busca pelo acusado. Após contatos com policiais civis de Feijó, o homicida foi preso e será encaminhado ao presídio Francisco de Oliveira (FOC), na capital, onde aguardará seu julgamento.

Para a realização deste feito, a DHPP contou com o apoio fundamental dos policiais civis de Feijó, Sena Madureira e Cruzeiro do Sul.

Chilena morta no Acre

A jovem Karina Constanza foi ferida com 24 golpes de faca na Avenida Amadeo Barbosa, em Rio Branco, no dia 1º de fevereiro. Ela foi encontrada por populares sangrando e levada por uma ambulância ao pronto-socorro, mas não resistiu e morreu no hospital.

Segundo a DHPP, o corpo da jovem natural do Chile tinha vários cortes nos braços, levantando a hipótese de que ela pode ter tentado se defender das facadas.

Se condenado, o autor do crime poderá sofrer uma pena que ultrapassa 30 anos de reclusão.