As lideranças de vários setores do Conjunto Habitacional Cidade do Povo, junto com a população, se reuniram na tarde deste domingo (19) para ocupar e protestar com o fechamento do setor ambulatorial da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro.

Segundo os moradores, os serviços de ambulatório e dentista da unidade deixaram de funcionar e passaram a ser feitos na UPA do Segundo Distrito. A população não aceitou essa decisão da Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) de que a unidade da Cidade do Povo atenda somente casos de urgência e emergência.

A determinação da secretaria veio após a morte de um conselheiro de um facção na porta da UPA, e a constante falta de segurança no conjunto habitacional.

Comunicado foi colocado na porta de entrada da UPA da Cidade do Povo (Foto: Reprodução)

Após o manifesto e a ocupação, a direção da unidade acionou a Polícia Militar para conter a população. Os militares estiveram no local com 3 guarnições para manter a ordem e tentar um diálogo.

Após o término do manifesto, os moradores prometeram fechar a rua em frente a Sesacre, no Centro de Rio Branco, nos próximos dias.