Esta segunda-feira (30) foi um “dia de cão” para os moradores da Baixada da Sobral. Desde a madrugada houveram vários feridos e mortos a tiros na região de maior concentração de habitantes de Rio Branco.

O monitorado por tornozeleira eletrônica Janeilson Almeida Pereira, de 26 anos, foi morto a tiros, e Gilsimar Batista de Amorim, de 28, foi baleado na perna esquerda e na coluna, na noite desta segunda. Os ataques aconteceram em duas ruas diferentes do Bairro Aeroporto Velho.

Segundo informações da polícia, os ataques tiveram início por volta das 21h, quando quatro homens fortemente armados roubaram um táxi no Bairro Alto Alegre, renderam o taxista e levaram o veículo.

Em seguida, os criminosos entraram na Baixada da Sobral e se dirigiram ao Bairro Aeroporto Velho, onde abordaram 3 jovens na Rua do Terminal, porém, dois conseguiram fugir e somente Janeilson permaneceu no local, sendo ferido a tiros na cabeça, costas, pé e peito. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu.

Homem morreu antes de ser socorrido (Foto: AAP)

Após a ação, os criminosos saíram em fuga pela Rua Rio Grande do Sul e pararam em um bar próximo ao Centro Cultural Lida Hames, onde Gilsimar Batista bebia com amigos. Dois criminosos desceram do carro e efetuaram 8 disparos, sendo que dois atingiram o homem na coluna e na perna esquerda. Em seguida, os bandidos fugiram tomando rumo ignorado.

Populares acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que encaminhou Gilsimar para o pronto-socorro de Rio Branco, em estado de saúde gravíssimo. Os socorristas ainda constaram a morte de Janeilson.

Policiais Militares foram acionados, colheram informações sobre os criminosos e fizeram buscas na região, mas nenhum suspeito não foi preso até o momento. Os militares isolaram a área até a chegada da perícia criminal, e os corpos foram levados ao Instituto Médico Legal (IML), para a realização dos exames cadavéricos.

A motivação dos crimes, segundo a polícia, seria a guerra entre as facções criminosas na região e podem ter relação com as mortes ocorridas na manhã desta segunda. Os agentes da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) já iniciaram as investigações do caso.

O taxista, que é dono do veículo roubado e que foi usado nos crimes, prestou queixa na Delegacia de Flagrantes (Defla) e falou como o assalto aconteceu. As informações poderão ajudar na identificação dos criminosos.

*Colaborou: Redação Alerta Acre