Um vídeo gravado nesta terça-feira (24), enviado por uma internauta à reportagem, mostra a invasão de pombos no refeitório do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco – HUERB, mais conhecido como “pronto-socorro de Rio Branco”.

A internauta, que estava como acompanhante de uma pessoa que se encontra internada no hospital, ficou incomodada e preocupada com o risco de mais infecções devido as aves representar rico a saúde pública.

Os pombos são animais frequentes em qualquer cidade, mas podem ser um perigo para a saúde humana, uma vez que podem transmitir várias doenças, conhecidas como zoonoses, como a criptococose ou a salmonelose, por exemplo.

A reportagem entrou em contato com o Diretor Geral do PS, Areski Peniche, que informou que “quanto à presença de pombos, temos aplicado medidas no intuito de reduzir estes animais na unidade e no entorno mas, infelizmente, não temos como impedir os vendedores ambulantes que contribuem com o aumento desta praga urbana”.

“As medidas de controle incluem limpeza das áreas externas e redução de resíduos alimentares disponíveis”, finalizou o diretor.

As principais doenças transmitidas pelos pombos são:

  1. Criptococose

A criptococose é uma das principais doenças transmitidas pelos pombos urbanos e é causada por um fungo que vive e se desenvolve nas fezes, o Cryptococcus neoformans. Quando esporos desse fungo são inalados, há comprometimento inicial do pulmão e à medida que o fungo se desenvolve, consegue espalhar para outros locais do corpo por meio da corrente sanguínea, podendo atingir o sistema nervoso e resultar em meningite, que é uma grave complicação da criptococose.

O Cryptococcus neoformans é considerado um fungo oportunista, ou seja, o desenvolvimento da doença acontece quando o sistema imunológico encontra-se comprometido, principalmente por causa da infecção pelo vírus HIV. Assim, dependendo do sistema imunológico da pessoa pode haver ou não desenvolvimento da doença e variação da gravidade dos sintomas.

Principais sintomas: Os sintomas de criptococose variam de acordo com o grau de comprometimento do sistema imunológico da pessoa, no entanto os mais comuns são sensação de falta de ar, espirros constantes, coriza, fraqueza e dor pelo corpo todo. Saiba reconhecer os sintomas de criptococose.

O que fazer: É recomendado que a pessoa se dirija ao pronto socorro para que seja confirmado o diagnóstico, uma vez que os sintomas são semelhantes a muitas outras doenças, inclusive gripe, e, assim, seja iniciado o tratamento, que é feito com o uso de antifúngicos como Anfotericina B ou Fluconazol por 6 a 10 semana de acordo com a orientação médica.

  1. Salmonelose

Embora a salmonelose seja mais frequente após a ingestão de alimentos mal lavados ou mal preparados, a transmissão da bactéria Salmonella também pode ocorrer devido ao cocô dos pombos. Isso acontece porque quando as fezes secam e viram poeira, podem ser transportadas pelo vento e ficar presas em frutas e vegetais que, se não forem bem lavados, podem contaminar as pessoas.

Principais sintomas: Os sintomas de salmonelose são normalmente gastrointestinais, podendo haver náuseas e vômitos por mais de 24 horas, diarreia intensa, febre baixa e dor de barriga constante.

O que fazer: Na maioria das vezes os sintomas melhoram após 3 dias, sendo apenas recomendado ficar de repouso em casa, fazer refeições leves e beber bastante água. Porém, se os sintomas não melhorarem, deve-se ir ao médico para que seja iniciado tratamento com antibiótico e administração de soro diretamente da veia para prevenir a desidratação.

  1. Encefalites virais

Os pombos são um dos reservatórios mais importantes para vírus como o vírus do Nilo Ocidental ou da encefalite de São Luís. Estas doenças podem infectar o sistema nervoso e causar diferentes sintomas, incluindo perda de consciência e risco de morte. Este tipo de encefalites são transmitidas pelos mosquitos, que após picar os pombos, podem picar os humanos e passar o vírus.

Principais sintomas: Os sintomas variam de acordo com o vírus e gravidade, no entanto sintomas frequentes são forte dor de cabeça, febre alta e convulsões, por exemplo.

O que fazer: É recomendado ir imediatamente ao pronto socorro para fazer o diagnóstico e iniciar o tratamento adequado, que normalmente inclui o uso de antipiréticos, como o Paracetamol e anticonvulsivantes, como a Carbamazepina. Saiba mais sobre a encefalite e seu tratamento.

  1. Infecção por Escherichia coli

A Escherichia coli, também chamada de E. coli, é uma bactéria que vive no intestino dos humanos, mas que também está presente em grande quantidade nas fezes dos pombos. Para evitar este tipo de infecção é importante lavar as mãos depois de estar num ambiente com pombos, como parques, por exemplo.

Principais sintomas: Assim, como a salmonelose, os sintomas da infecção por E. coli são intestinais, podendo haver dor abdominal, cansaço excessivo, náuseas, vômitos e diarreia. Aprenda como identificar os sinais de infecção por E. coli.

O que fazer: Em muitos casos a infecção por Escherichia coli pode ser tratada em casa com repouso, ingestão de água e alimentação com alimentos leves. Porém, se os sintomas forem muito intensos, se piorarem ou se surgirem em crianças ou idosos, é importante ir ao pronto socorro para iniciar o uso de remédios que melhoram os sintomas enquanto o corpo combate a infecção.