O comerciante Genivaldo Oliveira, de 39 anos, foi encontrado morto com marcas de golpes de terçado, na tarde desta segunda-feira (16), em uma colônia na Vila Caquetá, no km 72 da Estrada de Boca do Acre, na região do município de Porto Acre.

Segundo informações da polícia, Genivaldo morava na capital com a irmã e um cunhado, mas a cerca de 1 mês resolveu, junto com um amigo, ir coletar e vender castanha na vila.

Ele foi visto pela última vez na noite do último sábado (14) após retornar de uma venda com esse amigo. Uma moradora da vila acabou encontrando o homem morto dentro de uma casa.

A mulher acionou a Polícia Militar, que ao chegar no local se deparou com o homem deitado em um colchão. O cadáver apresentava vários cortes profundos. A área foi isolada até a chegada da perícia.

Agentes do Instituto Médico Legal (IML) recolheram o corpo e levaram para a sede em Rio Branco, para os devidos procedimentos e exames.

Na região ninguém quis falar sobre o homicídio, pois prevalece a lei do silêncio. O amigo de Genivaldo está desaparecido. A motivação do crime ainda é desconhecida, mas o caso já começou a ser investigado pela Polícia Civil.