Em um áudio que circula nas redes sociais, o líder da facção criminosa Comando Vermelho, Raimundo Rogério Lima Ricardo, vulgo “Nego Roger”, revelou o plano dele de “tomar” o território do Bairro Taquari, que é “dominado” por rivais.

Nego Roger conversou por WhatsApp com uma mulher que supostamente faz parte da facção rival e pediu que ela “rasgasse a camisa”, para ajudar e apoiar ele na ação.

“Vamos fazer a mesma coisa que fizemos no [bairro] Amapá, entendeu? Do mesmo jeitinho nós vamos cair pra dentro. Eu não tô com pena de gastar dinheiro, você sabe”, disse o líder do CV.

O criminoso ainda afirma que se a mulher deixar a facção rival e se aliar ao CV, ele tem poder de colocar 15 armas e mais 60 membros da facção fortemente armados para tomar o território.

Confira o áudio:

Uso de celular no presídio

O curioso da conversa é que Nego Roger está preso no pavilhão P do presídio Francisco de Oliveira Conde, na capital, mas teve acesso a celulares e internet para conseguir enviar o áudio.

Além disso, uma foto dele com membros da mesma facção dentro de uma cela foram expostas nas redes sociais, e chegou ao conhecimento de agentes penitenciários.

Pavilhão não tem bloqueador de sinal

O presidente do Instituto de Administração Penitenciária (Iapen), Lucas Gomes, ‘confirmou’ por meio de nota que as fotos foram feitas dentro do presídio, e que o fato aconteceu pois no pavilhão P, que foi inaugurado este ano, não há cobertura de bloqueadores de sinal de celular.

O pavilhão também não tinha tomadas, mas por conta de uma decisão da juíza Luana Campos, elas foram instaladas no local. Consequentemente, os detentos conseguiram usar essas tomadas para recarregar as baterias dos celulares escondidos.

Gomes ainda disse que, após o ocorrido, os detentos envolvidos foram identificados e encaminhados ao isolamento cautelar. Ainda segundo o presidente do Iapen, foram encontrados 8 celulares e drogas com os presos.

Confira a nota:

Na noite desta quinta-feira, 21, foram expostas em redes sociais fotos de detentos no interior de um pavilhão do Complexo Penitenciário Francisco de Oliveira Conde. Deste modo, os presos foram identificados, extraídos da cela e encaminhados ao isolamento cautelar na madrugada desta sexta-feira, 22.

Com eles, foram encontrados 08 aparelhos celular e drogas.

Os apenados estavam no pavilhão “P”, obra entregue neste ano de 2019 e sem cobertura contratual do bloqueio de celulares, pois os aparelhos foram instalados no complexo no ano de 2017, quando as obras do pavilhão “P” não tinham sequer iniciado.

Sem cobertura de bloqueador de celular, a alternativa foi entregar o pavilhão sem tomadas.

Contudo, decisão da Vara de Execuções Penais, através da Juíza Luana Campos, obrigou a permissão do uso de ventiladores nas celas do pavilhão “P”, o que obrigou, por consequência, o uso de tomadas no pavilhão.

Diante dos fatos o IAPEN está tomando medidas para revogar a decisão da magistrada. De igual modo, tem trabalhado para reforçar as revistas na entrada dos presídios, a exemplo de portaria recente que possibilita que todos sejam submetidos a aparelho de scanner corporal – inclusive servidores.

Além de medidas de ordem e disciplina como os procedimentos operacionais padrão (POP), o IAPEN tem trabalhado incessantemente no combate à corrupção, seja através da mudança de normas e procedimentos, seja pela abertura de processos administrativos e demissões de servidores que não representam a maioria honrada e honesta.

Rio Branco – Acre, 22 de Novembro de 2019.

Lucas Gomes

Presidente IAPEN