Foto: Ithamar Souza/Alerta Acre

Cerca de 500 trabalhadores (número divulgado por manifestantes) se reuniram e ocuparam a Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) na manhã desta quarta-feira (6) para realizar um protesto contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma da Previdência Estadual. O projeto de lei foi enviado pelo governador Gladson Cameli à Aleac, em regime de urgência, na terça (5).

Segundo os manifestantes, a reforma proposta pelo governo do Acre não agrada os servidores públicos e sindicalistas. Por seguir o modelo da reforma federal, o projeto está sendo chamado, por alguns sindicalistas, como “PEC da Maldade”.

O protesto na Aleac iniciou cedo, quando os manifestantes conseguir passar por um isolamento feito por seguranças. O ato seguiu até a abertura de uma audiência pública, para discutir a proposta. O Acre Previdência apresentou um slide mostrando que, por conta do déficit fiscal do estado, é necessário que a reforma seja realizada.

A proposta deveria ser votada ainda hoje (6) pelos deputados, porém, os manifestantes pedem que o projeto seja analisado minuciosamente para depois seguir para votação.

Um dos diversos pontos da reforma proposta pelo governo estadual é que a idade mínima para se aposentar seria de 62 anos para mulheres e de 65 para homens, assim como na reforma federal. O projeto tem regras de transição e também cria novas regras de aposentadoria.