O governador Gladson Cameli e seus secretários realizaram uma coletiva de imprensa, na manhã desta sexta-feira (23), para falar a questão das queimadas e o decreto de emergência ambiental.

O secretário de Meio Ambiente, Israel Milani, disse que o estado está planejando ações para evitar os problemas ambientais. Além disso, um trabalho de educação será realizado para que a população tome consciência do perigo das queimadas.

“Após decretarmos alerta ambiental, todas as autarquias e secretarias começaram a traçar planos e estratégias que podem nos ajudar a combater a questão de incêndios florestais. Nós estamos tentando melhorar a vida da população, já que temos idosos e crianças que têm sofrido muito com a qualidade do ar”, disse o secretário.

Durante a coletiva, o governador Gladson informou que recebeu uma ligação do governo federal e que será discutido em Brasília (DF), na próxima terça (27), a situação ambiental dos estados da região norte.

Por meio do Diário Oficial do Estado, o governador decretou nesta sexta estado de emergência por conta da escassez de chuvas, que aumenta o risco de incêndios florestais e queimadas urbanas, além de danos à saúde e ao meio ambiente.

Gladson disse que o governo federal falou sobre a possibilidade de também emitir emergência nacional, e que o presidente Jair Bolsonaro tem interesse em vir ao Acre nos próximos dias para falar sobre as queimadas.

O governador também informou que toda a estrutura do estado está mobilizada na questão ambiental e que vai se reunir com os prefeitos dos municípios para tratar do assunto.

Cameli ainda disse que vai pedir que a Argentina envie para o Acre aviões de combate a incêndios. “Vou mandar um ofício pro governo argentino, que já se colocou a disposição para qualquer necessidade, e vamos pedir logo um avião que jogue água e o que for”.