Um vídeo obtido com exclusividade pelo Alerta Acre mostra Helilson Bastos de Souza, de 33 anos, sendo interrogado pelo “Tribunal do Crime Organizado”. A vítima foi decapitada e morta, e teve o corpo abandonado no Bairro Taquari, em Rio Branco.

Durante o interrogatório, Bastos disse aos bandidos que fazia parte de uma facção criminosa e que estaria no Taquari (área dominada pela facção rival a sua) como olheiro, mas que não teria cumprido o seu papel e estava seguindo uma vida normal.

No mesmo vídeo, os criminosos acusam o homem de ter enviado informações de vários membros da facção da região para a polícia, inclusive contribuindo com a prisão de muitos líderes da organização. Bastos não comenta nada e logo a gravação encerra.

O corpo dele foi achado por populares na sexta-feira (9), perto de um campo de futebol, na rua Amizade, Loteamento Praia do Amapá, região do Taquari, em Rio Branco.

O cadáver estava com as mãos amarradas, sem a cabeça e havia sinais de tortura pelo corpo. Já a cabeça só foi encontrada um dia depois, na tarde do sábado (10), com as orelhas cortadas, a 100 metros de onde o cadáver estava no dia anterior.

A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) continua investigando o caso e tenta procurar pelos bandidos. Ainda não se sabe quantas pessoas estariam envolvidas no crime.