Antonio Palocci revelou em delação repasses milionários, na forma de doações oficiais e via caixa dois, para os petistas Fernando Pimentel e Tião Viana, que governaram Minas Gerais e o Acre, respectivamente. O documento foi revelado pela revista Veja, no inicio da tarde desta quarta (14).

O ex-governador Tião Viana recebeu R$ 2 milhões da Odebrecht, em 2010, sendo 1,5 milhão por meio de caixa dois. Fernando Pimentel recebeu 2 milhões de reais, também em 2010, da empreiteira Camargo Corrêa.

É a primeira vez que um documento do Supremo confere contornos concretos à principal frente da delação do ex-ministro Antonio Palocci fechada com a Polícia Federal e homologada pelo ministro Edson Fachin, chefe da Lava-Jato no STF.

A partir desse documento, descobre-se que o acordo firmado pelo ex-ministro no Supremo tem 23 anexos, que tratam de 12 políticos, entre ex-ministros de Estado, parlamentares e ex-parlamentares – além de grandes empresas.

*com informações de Veja