A partir do próximo sábado, dia 27, o sistema de transporte público coletivo da Regional Tucumã, em Rio Branco, terá mudanças. As alterações foram apresentadas para a população e a imprensa pela prefeita Socorro Neri na tarde desta terça, 23.

No novo sistema, chamado de tronco-alimentado, as linhas seguem dos bairros para o Terminal do Tucumã e de lá novos veículos, articulados, com maior capacidade de passageiros, seguem para o Terminal Central.

Com a mudança, as linhas Custódio Freire/Aeroporto, Tucumã/Rui Lino e Jorge Kalume/Distrito Industrial passam a operar exclusivamente entre os bairros e o Terminal Tucumã e deixam de fazer o trajeto até o centro. Já as linhas Universitário, Fundhacre, Ifac/Universidades e Ufac/Rodoviária permanecem inalteradas.

São seis novos carros articulados, com ar-condicionado, tv’s e capacidade para transportar 160 pessoas que vão fazer o percurso entre o Terminal Tucumã e o Terminal Central. A expectativa da RBTrans é que o tempo de espera na linha troncal seja de apenas 15 minutos.

“Nosso objetivo principal é melhorar o conforto, a segurança dos passageiros, garantir menor tempo de espera das pessoas nas paradas de ônibus e melhorar o trânsito no centro da cidade, pois vai diminuir a quantidade de ônibus que vão circular até o terminal central”, destacou a prefeita Socorro Neri.

O novo sistema ganhará ainda duas novas linhas: circular Ufac, com ônibus que vão circular exclusivamente dentro do campus universitário até o Terminal de Integração do Tucumã, e a linha Ipê, que vai atender os estudantes do Hospital Veterinário da Ufac e moradores e trabalhadores do Condomínio Ipê. Também no mesmo esquema de linha alimentadora do Terminal Tucumã.

O superintende da RBTrans, Nélio Anastásio, explicou que a implantação do novo sistema será acompanhado muito de perto pelo órgão e que se necessário ajustes poderão ser feitos. “Nesse momento é importante que a população tenha compreensão que é o novo, de que a princípio pode ser que nem todos gostem das mudanças, do que estava habituado a fazer”.