O Sistema de Segurança Pública do Acre (Sejusp) suspendeu novamente as visitas nos pavilhões “L” e “H”, do presídio Francisco d’Oliveira Conde, em Rio Branco. A decisão foi divulgada na noite de sábado (13) e ocorreu após uma arma de fogo ser encontrada em uma cela.

No dia 28 de junho, as visitas no presídio já haviam sido suspensas, quando agentes penitenciários encontraram uma carta, na qual mostrava um plano de fuga dos presos, e também havia a possibilidade de uma rebelião. As visitas foram liberadas na sexta (12).

Segundo o Conselho Gestor do Sistema Integrado de Segurança Pública (Consisp), a arma foi encontrada no mesmo dia da liberação da entrada de pessoas. Por conta disso, e considerando também a possibilidade de ter mais armas escondidas, as visitas íntimas e familiares nos pavilhões foram suspensas por tempo indeterminado.

Na decisão, que é assinada pelo Secretário de Segurança, Paulo Cézar, e pelo presidente do Instituto dos Agentes Penitenciário do Acre (Iapen), Lucas Gomes, é considerada a preocupação do governo com a segurança pública e a manutenção da ordem.

O presidente do Iapen ainda informou que a entrada de armas no presídio será investigada. Além disso, servidores serão investigados para apurar se eles têm envolvimento com a entrada destes objetos.