Após o acidente que aconteceu no sábado (22), na ponte do igarapé “Diabinho”, em Feijó, no interior do Acre, os moradores reivindicam melhorias urgentes para o local. Segundo os populares, vários acidentes já aconteceram na ponte.

Os moradores contam que a situação piora a cada ano, e relembram um dos casos mais graves, que aconteceu no mês de maio de 2014, quando a pequena Regis José de França dos Santos, de 11 anos, caiu ao atravessar a ponte e morreu.

Uma moradora contou que está cansada da promessa de reforma da ponte. Segundo ela, o prefeito de Feijó disse no primeiro mês de mandato que a ponte seria reformada, mas até agora não deu satisfação para a população.

“Crianças, jovens que estudam, mulheres grávidas e idosos, além dos produtores que necessitam escoar suas produções agrícolas, estamos vivendo praticamente isolados aqui”, disse a moradora.

Uma outra moradora disse que a condição da ponte prejudica o transporte de pacientes para o hospital de Feijó. “As pessoas doentes, idosos e as mulheres grávidas têm que fazer um trajeto de mais de 5 quilômetros para ter acesso ao Atendimento Médico, por medo de passar por essa ponte”.