O Movimento Social Pró-Ponte participou da Conferência Estadual de Saúde, que aconteceu nos dias 4, 5 e 6 de junho em Rio Branco, para discutir a necessidade de construção de uma ponte para travessia do Rio Juruá.

O movimento solicita há vários anos uma ponte que ligue Rodrigues Alves a outros municípios do estado do Acre, o que fará com que o deslocamento de uma cidade para outra, que hoje é feito com balsas, seja mais rápido, e ajudará no desenvolvimento da região.

O representante do movimento Pró-Ponte, Ralph Luís, disse ao Alerta Acre que a participação na conferência de saúde foi muito importante, já que a obra ajudaria no transporte de pacientes da região ao Hospital do Juruá, em Cruzeiro do Sul, salvando vidas.

Ralph conta que atualmente os pacientes de Rodrigues Alves são levados ao hospital em CZS por meio de balsas, e quando há uma urgência ou emergência, as vezes, as embarcações estão indisponíveis para o transporte dos pacientes.

“Apresentamos uma ‘Moção de Apoio’ a construção da nossa ponte, já que os serviços de urgência e emergência de saúde dependem excepcionalmente da travessia no rio Juruá para salvar vidas e garantir acessos no que tange o nosso direito constitucional de ir e vir”, disse Ralph.

Ralph Luís (Foto: Arquivo Pessoal)
Ralph Luís (Foto: Arquivo Pessoal)

Apoio

O representante também disse à reportagem que um ‘Manifesto Pró-Ponte’ foi entregue a diversos candidatos nas eleições em 2018, como o governador Gladson Cameli e o presidente Jair Bolsonaro, pedindo apoio para a construção da ponte. Além disso, Ralph também informou que a bancada federal garantiu um orçamento inicial de R$ 20 milhões para a obra.

“A bancada federal garantiu o orçamento, que seria utilizado para iniciar a obra neste ano, mas o governo federal deu uma recuada com as contas públicas, então só nos resta esperar para o dinheiro ser liberado e a construção começar”, contou o líder do movimento.

Não há uma previsão para que a obra seja iniciada. Os moradores esperam que a construção da ponte comece ainda este ano. Enquanto isso, o movimento Pró-Ponte continua lutando para que a obra seja realizada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here