A reitora da Universidade Federal do Acre (Ufac), Guida Aquino, em coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira (3), afirmou que só ficou sabendo do corte de verbas das universidades federais pelos meios de comunicação, já que a instituição não foi informada formalmente pelo Ministro da Educação, Abraham Weintraub.

A reunião com o novo ministro está agendada para o dia 16 de maio, em Brasília. “Nessa reunião nós esperávamos conversar sobre esse possível contingenciamento nas universidades federais”, afirmou Aquino.

Em se tratando de números, o corte anunciado equivale a perda de R$15 milhões de reais para a Ufac. “Se mantido o corte de 30% anunciado no início da semana, a Ufac não consegue viabilizar o segundo semestre de 2019, nós só conseguimos encerrar o primeiro semestre”, enfatizou a reitora.

O corte afeta diretamente os custos da universidade com manutenção, tais como: água potável, energia elétrica, segurança e limpeza do campus, insumos para os laboratórios e verbas para manutenção dos cursos. Não só a manutenção, o ensino, pesquisa e extensão também ficam comprometidos.

Agazeta.net