Doutor Valdir Perazzo durante entrevista na TV Gazeta

Ludwig Von Mises, em seu festejado livro “A Mentalidade Anticapitalista”, em síntese, diz o seguinte: o capitalismo garante a todos a oportunidade de obter os cargos mais almejados, se nele acreditarem (os liberais); ao contrário, os homens que não conseguem satisfazer suas ambições, tentam encontrar um bode expiatório para suas frustrações (os comunistas).

Uma sociedade pode basear-se na propriedade privada (capitalista), ou pode basear-se na propriedade comunal (comunista). Basicamente são esses os dois modelos de sociedade.

O Partido dos Trabalhadores (PT), durante 20 anos, aqui no Estado do Acre, repetiu ad nausean que a oposição não tinha projeto. O Partido dos Trabalhadores (PT) tinha convicção total do seu projeto comunista. Percebia que a oposição apenas disputava cargos. Não era portadora do projeto oposto, ou seja, o da livre iniciativa (liberal).

A onda liberal conservadora que atingiu o Brasil nos últimos 05 (cinco) anos, especialmente com o sucesso da candidatura de Bolsonaro, de viés liberal conservador, terminou por ter influência na política local.

Os principais candidatos ao governo do Estado do Acre, em 2018, mesmo o do PT, que percebeu o esvaziamento do seu discurso, passaram a defender o agronegócio, um projeto liberal.

O Governador Gladson Cameli, não só na campanha, mas já agora no exercício do poder, reiteradamente, vem defendendo o agronegócio como projeto de recuperação da economia do Estado. Repete também que deixará a iniciativa privada para os empresários, retirando o Governo de qualquer iniciativa econômica.

Nós, do Movimento Liberal Acreano, temos aplaudido esse discurso em defesa da livre iniciativa, que é um projeto oposto ao que foi implantado pelo Partido dos Trabalhadores (PT), e que sobreviveu no Acre durante 20 (vinte) anos, mas que, nas últimas eleições, foi repudiado pelo povo, dado o seu evidente fracasso.

Pois bem! Temos assistido com desalento a nomeação de várias personalidades do governo anterior para ocuparem cargos de gestão no atual governo. Cargos importantes, inclusive, de formulação política.

Nos últimos dias tomamos conhecimento da nomeação de um personagem que, durante vários anos, como parlamentar, emprestou seu total apoio aos governos do PT. E não é, como se diz no comunismo, um “idiota útil”. É alguém que sabe o que está fazendo.

Que sabia que estava contribuindo para um projeto comunista. Temos acompanhado pela imprensa – nós do movimento liberal nunca fomos chamados para dar um opinião, muito embora estejamos não apenas torcendo, mas lutando para que o governo dê certo – sendo nomeados, para cargos de gestão, diversos personagens, cuja militância em favor do comunismo (petista) é pública e notória.

O prestigiado site Ac24 Horas, na data de ontem (4), deu publicidade a uma pesquisa feita pela “Data Control”, a pedido do referido site, que revela a opinião dos acreanos.

Foi formulada a seguinte pergunta aos entrevistados: Você é a favor da despetização do Acre? Traduzindo.

Você é a favor de mudar o projeto comunista do Acre por um projeto liberal? Explica-se. O povo não sabe o que é o projeto comunista, mas, sente os seus efeitos, como na Venezuela.

No Acre, o povo sentiu os efeitos do comunismo, quando comparou os indicadores econômicos do Acre com os de Rondônia.

Não houve surpresa! 49% dos acreanos são favoráveis à despetização do Governo. Leia-se.

O povo é a favor de mudança do projeto do PT (comunista), para um projeto liberal capitalista, mormente o que o Governador indicou na sua campanha, ou seja, ênfase no agronegócio como saída econômica para o Acre. Isto é, uma atividade típica da livre iniciativa.

A pesquisa é absolutamente coerente. A população quer o projeto (liberal), que indico urnas em 2018, se opondo ao projeto comunista do Partido dos Trabalhadores e seus satélites, derrotado em razão do fracasso constatado ao longo de uma vintena de anos.

Ora, porquê o povo reage indignado quando se anuncia a nomeação de um figurão do governo anterior para assumir cargos de gestão no governo atual? Percebe que foi trapaceado, logrado (um estelionato) .

Votou em um projeto (liberal), mas, que na prática, está havendo continuidade do projeto (comunista) anterior.

Eis a contradição lógica do Governador Gladson Cameli! No discurso diz que quer uma sociedade livre, capitalista, em defesa do agronegócio. Mas, na prática, ao nomear pessoas de convicções de esquerda, está dando continuidade a um governo de cunho socialista.

Impossível alguém de convicções comunistas (os do governo anterior que são nomeados pelo atual governo), formular um projeto liberal, capitalista, de livre mercado. Seria o mesmo que acreditar em “Papai Noel”.

Lamento que não vejo ninguém do entorno do Governador que o advirta dessa contradição. Acho até que essas nomeações constrangedoras para o Governo são facilitadas pelos que gravitam em torno do poder.

Aqui não vai nenhuma crítica de um oposicionista, nem mesmo de alguém que se diz independente. Sou governo, embora não tenha nenhum cargo. Declaro meu apoio público ao Governador Gladson Cameli.

Valdir Perazzo é advogado e um dos idealizadores do Movimento Liberal do Acre.