Na manhã desta segunda-feira (1), “Dia da Mentira”, os internautas amanheceram soltando as mais bizarras mentiras por meio das redes sociais como WhatsApp e Instagram: algumas delas falam em uma possível cassação de mandato do presidente Jair Bolsonaro (PSL) por corrupção, além de mencionar a possibilidade de soltura do ex-presidente Lula, preso desde abril do ano passado.

Assuntos relacionados ao Acre não foram esquecidos, alguns noticiaram uma suposta nomeação do ex-gestor Tião Viana para assessorar o atual governo. Outros chegaram a declarar que não haveria expediente em repartições públicas. Porém, tudo não passa de uma brincadeira em alusão à data, em que a mentira pode pegar qualquer um de surpresa à qualquer hora do dia.

Outra mentira bem elaborada foi de um internauta que afirmou que está chegando uma friagem que promete chegar aos 8° graus. Por essa, nem o Davi Friale esperava.

História do Dia da Mentira

O dia 1º de abril é considerado como o Dia da Mentira em muitos países, inclusive no Brasil. Ele é marcado por brincadeiras, “pregação de peças” ou pela divulgação das mentiras mais deslavadas.

Não se sabe ao certo a origem da data, situação que ocorre também com boa parte de outras tradições culturais, mas existem alguns indícios históricos estapafúrdios, mentiras grotescas e outras mais credíveis.

Para encurtar a história, a data possivelmente está relacionada com as mudanças no calendário propostas no Concílio de Trento, em 1548, e implantadas pelo papa Gregório XIII em 1582.

Nesse meio tempo, o rei francês Carlos IX ordenou que, a partir do ano de 1564, o Ano Novo fosse celebrado no dia 1 de janeiro, e não mais em 25 de março, o início da primavera no Hemisfério Norte, como era a tradição na maior parte da Europa.