A família do policial civil Juscelino de Queiroz, baleado ao ser confundido com um assaltante, está confiante com a recuperação dele e diz que ele tem melhorado das lesões.

Apesar da evolução, o policial continua na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb). A previsão é que vá para o observação ainda nesta sexta-feira (22).

Na noite de sábado (16), Queiroz tentou impedir um assalto no bairro Isaura Parente, em Rio Branco, e foi confundido com um dos assaltantes por um tenente da Polícia Militar do Acre (PM-AC), que estava próximo em um restaurante. Ele levou três tiros do PM que atingiram pulmão, fígado, intestino e perna.

Na segunda-feira (18), o policial saiu do coma induzido e conseguiu se comunicar com a família. Ao G1nesta quinta (21), o bombeiro e irmão de Queiroz, Josemar de Oliveira, contou que a família está mobilizada para ajudar na recuperação do policial.

“Quadro é estável, mas ainda é grave por conta das lesões internas que atingiram o pulmão, fígado, diafragma e o estômago também. Tem ainda as lesões na perna que está fraturada, mas vem se recuperando bem, tem apresentado melhoras”, explicou.

O bombeiro falou que na noite do ocorrido o irmão jantava com a esposa em um restaurante. Ao perceber que uma pessoa iria ser assaltado, Queiroz foi tentar impedir e acabou baleado. O policial é pai de um menino de nove anos, que não o ver desde a noite que foi baleado.

“Hoje [quinta] fez uma tomografia no pulmão e não deu nenhum coágulo. Deve ficar em observação por um bom tempo. Vai dar certo, se Deus quiser. Estamos confiantes”, ressaltou.

Apuração

Oliveira falou que a família espera uma apuração do caso com imparcialidade e dentro da legalidade. Ainda segundo o irmão, Queiroz está na Polícia Civil há quase seis anos.

“Que os responsáveis sejam punidos porque um inocente quase perde a vida tentando ajudar e acontece uma fatalidade dessa”, lamentou.

O PM está afastado das funções, segundo a Polícia Militar do Acre, e as duas instituições apuram como tudo aconteceu.