No dia 08 de março é comemorado o Dia das Mulheres. O Alerta Acre, como diversos portais de notícias, celebram a data e desejam felicidades neste dia e, também, ao longo do ano a todas as mulheres.

A homenagem do site este ano vai para a professora e heroína Heley de Abreu Silva Batista. Conheça um pouco sobre a história de Heley.

Mãe de três meninas, uma de 15, outra de 12 e a terceira de apenas um ano e três meses, era considerada pelos colegas de trabalho e amigos mais próximos uma verdadeira guerreira. Perdeu um outro filho aos 4 anos, afogado em um trágico acidente numa piscina há quase 18 anos. A tragédia, dizem fontes mais próximas, a marcou muito, mas mesmo assim não a impediu de que encontrasse forças para se reerguer.

Concursada pública, desde 2016 trabalhava como professora do Centro de Educação Municipal Gente Inocente, localizada em Janaúba, em Minas Gerais. De acordo com um funcionário da prefeitura da cidade, Heley vinha realizando um excelente trabalho.

(Foto: Arquivo Pessoal)

Uma de suas maiores bandeiras na educação era a da inclusão social e infantil. Propunha métodos, buscava gerar interação entre alunos mais tímidos e era conhecida por ser extremamente amável com cada um deles. Além de bacharel em pedagogia, ela se especializou em educação inclusiva.

No dia 5 de outubro de 2017, o vigilante Damião Soares Santos, de 50 anos, pôs fogo na creche onde Heley trabalhava, matando 12 pessoas e deixando mais de 40 feridas. No momento do incêndio, entre pipocas e doces, dizem que ela explicava a cada uma das crianças a magia do cinema. Heley lutou com o vigia na tentativa de impedi-lo de colocar fogo na escola.

Em chamas, ajudou a salvar vários alunos que foram trancados pelo vigia dentro de uma sala de aula. Ferida, com 90% do corpo queimado, chegou viva ao hospital, mas não resistiu. Se não fosse por ela, mais crianças teriam morrido.

Aos 43 anos, foi sepultada como heroína, com toda a justiça. Deixou as três filhas e o marido. Seus atos foram reconhecidos pela Presidência da República, que lhe concedeu a Ordem Nacional do Mérito postumamente.

(Foto: Reprodução)

Heley ensinou que mesmo quando alguém nos ataca, ainda que da forma mais cruel e fria, podemos e devemos pensar no próximo, especialmente se ele for alguém indefeso. Assim ela o fez, sem egoísmo, sem medo, sem renúncia, se entregou, até ser queimada viva para salvar inúmeras crianças.