Após a prefeita de Rio Branco, Socorro Neri, vetar a realização do Carnaval na Avenida Brasil, a secretária de Empreendedorismo e Turismo, Eliane Sinhasique, anunciou nesta sexta-feira (15) o cancelamento da festa.

Empresários patrocinariam o evento e o governo apenas ajudaria sem aplicar dinheiro público. A festa iria fazer a economia do estado girar com a participaração de mais de 90 profissionais da música, 60 microempreendedores da economia solidária, 30 seguranças privados e 9 artistas grafiteiros para ornamentação.

Em entrevista coletiva na manhã desta sexta, na Associação do Comércio (Acisa), Sinhasique disse que a Gameleira, ponto que poderia ser utilizado para o evento, está “cansado” e que o estacionamento Arena da Floresta é muito grande e está sem iluminação.

A secretária ainda diz que, como não podem realizar num centro de convergência (a Avenida Brasil), num ponto central da capital para que todos tenham acessibilidade ao local do evento, ficou resolvido que o governo não vai participar e nem realizar o carnaval em outro local.

O presidente da Acisa, Celestino de Oliveira, também falou sobre o cancelamento do evento. A associação era uma das parceiras do governo do Estado na realização do Carnaval na capital.

Celestino disse que a associação tinha disponibilizado 60 vagas para microempreendedores diretos atuarem no espaço que seria realizada a festividade e que o cancelamento prejudicará a economia local.

“Fomos pegos de surpresa, porque já havia um planejamento e à Acisa cabe apoiar essas atividades que venham, de alguma forma, beneficiar alguns segmentos. Tenho certeza que prejudicaram alguns porque deixarão de expor e vender. Num momento de crise, todo recurso que vier é bem-vindo. Fará falta”, comentou.