Doutor Valdir Perazzo durante entrevista na TV Gazeta

O advogado Valdir Perazzo, Presidente da Executiva Municipal do PSL em Rio Branco, amanheceu esta quarta-feira, 13, reflexivo sobre as últimas notícias envolvendo o nome do seringueiro Chico Mendes, morto em 1988 e amplamente explorado pelo Partido dos Trabalhadores no Acre.

Perazzo lembra que até agora o “ecologista” só foi vendido por escritores de esquerda. E sugere que algum jornalista alinhado com as idéias conservadores e liberais escreva a história real do homem que a esquerda usou para chegar ao poder.

Veja o que Perazzo escreveu:

No final de 2018, li uns cinco livro sobre o líder seringueiro Chico Mendes, inclusive o livro desse post, do jornalista de esquerda, Zuenir Ventura. Todos laudatórios sobre a liderança do referido ambientalista. O que concluí? Chico Mendes era um socialista. O Socialismo que ele defendia, terminou sendo implantado aqui no Acre, por seus seguidores do PT, com o nome de “Florestania”.

Depois de 20 anos qual o balanço que se pode fazer? Não vou dizer. Sugiro que se faça uma comparação entre os dois Estados vizinhos: Rondônia e Acre. Comparem-se os indicadores sócio-econômicos dos dois Estados. Rondônia criado uma vintena de anos depois do Acre. A propósito das declarações do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Sales, sobre o líder Chico Mendes, fica o desafio aos novos escritores.

Valdir finaliza a exposição fazendo a seguinte indagação, ‘‘Que tal um livro sobre Chico Mendes, que não seja de viés esquerdista?’’.