A morte governador do Acre no início da década de 1990, Edmundo Pinto de Almeida Neto, morto a tiros em São Paulo, em 1992, rendeu um episódio na quarta temporada da série Investigação Criminal, exibida na plataforma digital Netflix.

O ex-governador foi assassinado em 17 de maio de 1992, a tiros no apartamento 707 do Hotel Della Volpe Garden, na Rua Frei Caneca, no Centro de São Paulo. O episódio com pouco mais de 40 minutos relata toda a investigação da Polícia do Estado de São Paulo para investigar o crime e chegar aos culpados.

De acordo com a série, os criminosos roubaram Cr$ 500 mil do apartamento que Edmundo Pinto ocupava desde 14 de maio e ainda roubaram US$ 1.500 de John Franklin Jones, hóspede do apartamento 714 e funcionário do banco norte-americano Northeast. Jones disse para a polícia que os assaltantes eram três mulatos e seu depoimento foi um dos que permitiram a prisão dos criminosos.

O assassinato ocorreu menos de 48 horas antes do governador Edmundo Pinto prestar depoimento perante à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Congresso que investigaria desvios de recursos destinados à construção do canal da maternidade. A respeito do assassinato, embora que houvesse suspeita de queima de arquivo, a polícia concluiu que o assassinato de Edmundo Pinto foi latrocínio.

Houve novas investigações sobre o caso em 1993 e 2003 e o mesmo foi alvo da CPI da Pistolagem em 1992 quando Gilson José dos Santos, um dos acusados de matar o governador, disse que recebera dinheiro para cometer o crime.

Além do episódio que retrata a morte do governador do Acre, a série aborda, por meio de sequências de entrevistas, a história de grandes crimes brasileiros, como o dos Nardoni, dos Richthofen, de Mércia Nakashima e do cartunista Glauco.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here