O procurador do Ministério Público, Álvaro Celso, apresentou uma denúncia contra os seis vereadores acusados de receber um “mensalinho”, no mesmo escândalo que levou à prisão do prefeito André Maia. O mesmo esquema se repetia em Capixaba.

Os vereadores James Queiroz (PR), Cleiton Nogueira (PR), Francisca Macedo (PT), Dioclecio Uchoa (PSD), Magilo Lima (PP) e Idalete Holanda (PSB) receberiam R$ 3 mil por mês, em esquema ilegal da prefeitura de Senador Guiomard.

O delegado de Polícia Federal, Eduardo Gomes, investigou as denúncias que levaram ao indiciamento dos parlamentares. A PF já havia realizado uma operação de busca e apreensão na prefeitura e na Câmara de Vereadores do município.

No ato, o policiais conseguiram obter anotações que apresentavam a existência de um esquema no local. Mensagens também foram interceptadas. Os conteúdos dos arquivos seriam sobre o acerto de valores e comprovaram o esquema.

Na peça acusatória, o Ministério Público ainda citou uma passagem do evangelho de Lucas: “Porque não há nada oculto que não venha a ser revelado, e nada escondido que não venha a ser conhecido e trazido à luz”. – Lucas 8:17.