Doutor Valdir Perazzo durante entrevista na TV Gazeta
Comprometi-me com Evandro Cordeiro de manter uma coluna em seu blog falando do liberalismo. Sem a pretensão de escrever  artigos de fundo, pelo menos, com o objetivo de ajudar os que almejam se iniciar no estudo da matéria, vou aqui fazendo algumas sugestões que podem ser úteis para os que querem ter outra visão que não apenas a esquerdista. Hoje citarei alguns dos mais ilustres nomes do liberalismo nacional e internacional.
No plano internacional o primeiro nome que me vem à mente é o de Ronald Wilson Regan. Para conhecer melhor esse grande estadista (liberal) faz-se necessária a leitura de uma boa biografia. Era formado em sociologia e economia no Eureka College. Político do Partido Republicano, por tal partido elegeu-se presidente dos Estados Unidos em 1980. Na presidência implementou iniciativas econômicas de recuperação da economia americana pelo estímulo a oferta, que incluía medidas de desregulamentação, redução dos gastos governamentais e cortes de impostos.
Da mesma estatura política liberal  de Ronald Regan, como é estadista, é Margaret Hilda Thatcher (Baronesa Tatcher de Kesteven). Em 1975 foi eleita líder do Partido Conservador, e em 1979 se tornou a primeira mulher a ser primeira ministra do Reino Unido. Ao liderar o governo, estava imbuída do propósito de reverter o declínio de seu país, o Reino Unido.  Suas políticas têm similitudes com as adotadas por Regan: desregulamentação do setor financeiro, flexibilização do mercado de trabalho (reforma que o Brasil tenta fazer agora, com ferrenha oposição dos partidos de esquerda), e privatizações das empresas estatais (o que deveríamos também fazer privatizando estatais deficientes causadoras de corrupção). Sobre essa importante líder liberal conservadora recomendamos que se assista  o filme “Dama de Ferro”.
Rodrigo Constantino, autor do best-seller “Esquerda Caviar”, no seu livro “Contra a Maré Vermelha”, fala, em um dos seus artigos alí inseridos, do prêmio nobel de economia,  Friedrich Hayek, muito lido durante o governo Obama, quando as liberdades dos americanos estavam, paulatinamente, sendo suprimidas.  O livro mais lido pelos americanos temerosos da perda de suas liberdades  era  “O Caminho da Servidão”.  Para Hayek, não é possível existir liberdade pessoal e política quando a liberdade econômica  é progressivamente abandonada. Acreditava Hayek: “Sem a liberdade econômica, as demais liberdades também acabam. Quanto mais o governo planeja a economia, menos liberdade sobra para os planos dos indivíduos”. “Socialismo democrático não passa de uma ilusão”.
Gilberto de Mello Freyre é considerado um dos mais importantes sociólogos do Século XX. Pernambucano, estudou na Universidade de Columbia nos Estados Unidos. Sua mais importante obra é Casa Grande & Senzala. É uma grande obra de interpretação do Brasil que os liberais devem conhecer. Em 04 de janeiro de 1984, em entrevista concedida à revista Veja, deu testemunho de sua fé liberal,  afirmando: “Ninguém sabe dizer o que é liberalismo de fato. Muita gente se diz liberal sem saber exatamente o que é isso. A palavra liberal tem um sentido simpático. Quando a ouvimos, alguma coisa em nós reage favoravelmente. Mas acredito que a liberdade econômica deve ser ampla”.
No momento leio um jornalista brasileiro que influenciou todo o século XX, como jornalista liberal que era. Refiro-me à biografia do jornalista Austregésilo de Athayde, intitulado “O Século de Um Liberal”. Leio também o católico conservador Gustavo Corção. Dele vale a pena a leitura de “Lições de Abismo”, romance em que faz uma reflexão sobre a morte.
O político acreano, ex-deputado estadual,  ex-deputado federal,  ex-secretário da Mesa Diretora da Câmara Federal, Márcio Bittar,  assumido como liberal conservador, em material publicitária de sua atividade política, destaca as diferenças entre esquerda e os liberais conservadores.  Do panfleto distribuído ao público, sobressai a primeira diferença com a qual concordo: Os esquerdistas controlam a economia  e os agentes econômicos, ao passo que, os liberais conservadores promovem a liberdade de mercado e o empreendedorismo. Uma boa síntese do que é ser liberal!
Valdir Perazzo é um dos idealizadores do ILAC – Instituto Liberal do Acre

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here